Apoio as causas do G7

A Onor está assistindo de maneira estarrecida, os recentes acontecimentos junto a empresa Nel G7, responsável por manter o Portal G7 Press Online.
A empresa de maneira injusta, bem como seu Presidente, foram vitimados por golpistas que usam seu nome para desviar recursos e aplicar golpes nas pessoas.
A Onor, que fazia parte até a semana passada, de parcerias e do Conselho de Administração do G7 Press, deixou o mesmo.
Mas isso não significa, que estamos apoiando as iniciativas adotadas contra o Portal e seus administradores.
A saída da empresa foi estratégica, pois temos 10,2 mil pessoas funcionárias, que precisam receber seus recursos financeiros.
Que não poderiam o fazer, se nossas contas fossem bloqueadas judicialmente como aconteceu no caso da Nel.
Por isso, deixamos a parceria momentaneamente, mas sem que deixemos de atender aos pedidos que nos forem realizados.
A parceria entre esta Annabelle e a Onor, mais Guilherme Kalel e o G7, é e sempre será eterna, com nem um abalo em suas estruturas principais.
Vamos agir dentro da lei, para ajudar a trazer luz a verdade dos fatos e descobrir, quem são os responsáveis.
Numa medida enérgica, a Justiça brasileira retirou do ar os sites do G7.
Quando deveria ter agido apenas em respeito ao site dos golpistas, chamado de Fundação G7 Press.

Gente, qualquer pessoa que apareça, dizendo ser Guilherme Kalel ou o G7, e pedir dinheiro, não acredite.
É golpe!
Nem um nem outro, vai procurar ninguém para requerer financiamentos para projetos sociais.
Os projetos do G7, são mantidos, integralmente por recursos vindos do Portal,
angariados por sua vez, com assinaturas e vendas de produtos e serviços.
Para além disso é fraude!

Como a Onor apoia o G7
Mantemos na Prevent, os atendimentos a pacientes oncológicos e de HPN, contratados pelo projeto do G7, que atende a 217 pessoas.
Oferecemos o atendimento Home Care a esses pacientes, exatamente como combinado e anunciado, antes do projeto social.
Ainda que não venhamos a receber nem um centavo por isso, a Onor assume os ônus dos gastos, até que o G7 possa resolver toda a situação.
Não vamos deixar, nem uma pessoa sem receber atendimento por conta de gente canalha, que age por dinheiro e ambição.